invisible invisible invisible invisible invisible invisible invisible invisible invisible invisible

a agoirar desde 2004

Busca    |    Arquivo    |    Temas    |    Ligações    |    Mediateca    |    Sobre o blog    |    RSS      |    Gosta?

quarta-feira, 25 de janeiro de 2006

Tenta outro dia

Não lhe apetece ler, e logo hoje que esperas passiva como um livro numa estante. Estremeceste quando te tocou no ombro, mas era só a força do hábito, como se lêsse o título na lombada. Tem os olhos cansados. Está farto de histórias com finais previsíveis, e tu perdes para qualquer policial do Le Carré. Falta-te enredo. Tens acção, sobejam-te assomos de ousadia, mas falta-te... poesia!

Até te digo, acho que ele preferia escolher outro livro qualquer às cegas, ou pelo cheiro. Não sei se sabes mas os livros têm cheiros característicos. Tu, por exemplo, és de certeza um livrinho impecavelmente novo, a cheirar a rebuçado de baunilha. Longe, muito longe, dos romances de bolso a cheirar a tabaco, sujos de se darem, do odor libertino do álcool dissolvido em suor e noite, do cheiro a vómito.

Não sei já dizer se ele ainda sabe ler(-te). Qualquer calhamaço insípido sobre a vida sexual das formigas tem agora potencial para te levar a melhor, bastando que tenha marcas de café derramado e vestígios de areia da praia. Acho que ele se deixou perder-te. De modo que hoje não lhe apetece ler. Tenta outro dia.

4 comentários:

jotadias disse...

Coloquei um link do "gato preto" no "ferroadas".

Vai linkando.

Abraço

SweetSerenity disse...

E, finalmente, um texto teu com já há muito não aparecia. Sentia saudade... Só o li uma vez, mas pretendo lê-lo outras. Uma só leitura nunca chega para se inspirar bem as palavras de um escritor. Fiquei contente por este bocadinho.

A imagem também é bonita. Uma das imagens mais belas: estantes carregadas de livros. É mesmo reconfortante, não é?

Bom, deixo-te um beijinho*
Mudei de casa e ainda não tenho Internet, pelo que estou num computador da biblioteca da escola, enquanto espero que o intervalo acabe para ir para a aula de Psicologia.
Até uma próxima... :)

Gato Preto disse...

Bom, estantes carregadas de livros nem sempre são reconfortantes, acredita... Mas podemos sempre imaginar que são livros gostamos de ler. (suspiro)

Boas aulas, excelentes leituras e... volta sempre!

Sherazade disse...

Concordo com a SweetSerenity: há algum tempo que não escrevias um texto assim, desses que entram por nós adentro e nos deixam as emoções em rebuliço. Ou não falasses de amor e de livros.

Gostei sobretudo das imagens. Da verdade das imagens. Mais que da sua beleza e garanto-te que as achei mesmo bonitas. Talvez já não saibas ler a rapariga, mas sabes (ainda) escrevê-la. Lindamente.

Aproveito para te recomendar um livro (eu sei que isto é um bocado inoportuno) que li e reli há pouco tempo. "A sombra do vento" de Carlos Ruiz Zafón. Tal como o teu post fala de livros que se encontram e amores que se perdem e vice-versa.

Beijinhos,



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...